REDBULL STATION

 

REDBULL STATION

Centro Cultural | Cultural Center | Centre Culturel

programa

RedBull

cliente

coordenador

Luiz Trindade

arquiteto

chefe de projeto

TRIPTYQUE

Paulo Adolfo Martins

área 

2 200 m²

paisagismo

localidade

creditos

ano

Download

São Paulo | SP | Brazil

Pedro Kok

2011 - 2013

O centro da cidade de São Paulo é um dos locais no mundo onde a densidade urbana é uma das mais fortes e intensas. Uma região onde a beleza das ruas e dos prédios foi esquecida durante vários anos. Nessa região, um edifício dos anos 20, que era ocupado pela companhia de eletricidade Light, foi requalificado. O Centro Cultural da Estação Red Bull, tem um papel importante na reabilitação do centro desta cidade.


Situado na praça da bandeira, o novo centro cultural articula as artes, graças à produção e à difusão das novas formas de expressão artística.


O prédio foi inteiramente renovado, respeitando os conceitos da herança arquitetônica. Uma intervenção contemporânea foi realizada a fim de adaptar o edifício ao seu novo papel de espaço cultural. Mas a essência do edifício histórico foi preservada e a beleza dos seus elementos foi potencializada.


Um elemento arquitetônico foi criado para acompanhar os visitantes ao longo do seu percurso, desde as escadas até o topo do quinto andar da estação Red Bull, passando pelo seu interior. Sobre o telhado do prédio “flutua” uma marquise de metal, chamada “folha”, que cobre parcialmente o terraço e cria um espaço.


Há um pilar que aparece como o marco zero, à partir do qual o Centro vai espalhar as diferentes artes que ele abriga.


De um lado do térreo está situada a galeria principal, um espaço que recebe exposições de todas as formas de artes visuais, de performances e de concertos. Do outro lado, está situado um volume de concreto cuidadosamente esculpido e polido para receber um estúdio de gravação de música.


O subsolo foi transformado em espaço de exposição e de ensaio de música. No primeiro andar, seis ateliês foram criados para as residências artísticas que mudam a cada trimestre. Em volta dos ateliês individuais, a “galeria de transição” é um espaço experimental de trabalho que acolherá temporariamente os projetos realizados nestes ateliês durante seu processo de criação.


Durante sua primeira vida, a estação utilizava um sistema de refrigeração a base de água para resfriar os transformadores. Reativou-se este sistema adormecido há décadas, devolvendo a água para a estação. A "folha" na cobertura recolhe a água da chuva, reconstrói seu curso original para o tanque localizado na cave e a jorra pela fonte na cobertura. Esta injeção de energia líquida, não mais de eletricidade, traz vida nova para a estação. Ela tem ecoado em seu entorno, na cidade.