Por que o time de Conceito é crucial para a produção arquitetônica contemporânea?


Por Sávio Jobim*


O pensamento local em arquitetura é hoje tão importante quanto o pensamento universalizante. Na prática, isso quer dizer que é preciso combinar técnicas construtivas, materiais sustentáveis de baixo impacto e valores globais à observação das características climáticas e topográficas, mão de obra e usos determinados que se distinguem em cada localidade. Nesse contexto, o arquiteto se apresenta como uma figura externa em busca da vivência a ser reportada por quem está imerso naquela realidade.


Na ARCHITECTS OFFICE, adotamos uma abordagem processual. Acreditamos que a arquitetura é mais do que uma marca individual, é um processo vivido em equipe. Pouco a pouco vamos nos metamorfoseando de modo fluido, de forma prática e sem segredo, absorvendo o local de maneira camaleônica, sem a preocupação de manter uma linguagem ou assinatura como resultado final.


Essa visão permeia todo o trabalho do time de Conceito do escritório e norteia o desenvolvimento dos projetos das mais variadas escalas e usos. Contamos com encontros periódicos para compartilhar o dia a dia das equipes sediadas em São Paulo e em Lisboa. Enquanto a Criação representa a faísca inicial, o Conceito perpassa toda a sua existência, numa intensa sinergia com os profissionais dedicados às etapas de desenvolvimento técnico.


Para atender às demandas e expectativas de cada cliente, dispomos também de uma rotina semanal de treinamentos sobre temas como curadoria, dinâmicas de mercado e acompanhamento da legislação e normas – já que as práticas estão em constante mudança. Refletimos sobre se as respostas estão adequadas a cada projeto, considerando o ambiente urbano onde está inserido, exercitando o regionalismo crítico. Ao buscar primeiro respostas para os desafios de concepção, tornamos esse processo mais fluido.


Há ainda uma preocupação em tornar nossa atuação mais dinâmica. Assim, a cada projeto são coletados dados e listadas práticas capazes de gerar padronizações, contribuindo para automatizar as bases de novas concepções. Um dos esforços nesse sentido tem como foco os estudos de viabilidade, que costumam ser mais eficazes quando racionalizados. O Núcleo de Estudos Urbanos foi outra iniciativa da equipe para pensar sobre o futuro e romper o imediatismo das entregas diárias. A sensibilidade, a capacidade de escuta e a reflexão crítica tornam a conceituação uma etapa chave do desenvolvimento arquitetônico contemporâneo, fruto de um esforço contínuo, coletivo e que reconhece a importância que os métodos de trabalho são capazes de exercer nos resultados finais.




* Sávio Jobim é diretor de Criação de Arquitetura na equipe de Conceito do ARCHITECTS OFFICE SP. Com passagens por alguns dos mais relevantes escritórios contemporâneos, como Bjarke Ingels Group (BIG, Copenhagen), Office for Metropolitan Architecture (OMA, Rotterdam) e Isay Weinfeld (São Paulo), Sávio trabalhou como arquiteto e urbanista em projetos no Brasil, Israel, França e Taiwan.

43 visualizações0 comentário